Medos comuns em corridas de rua

Atualizado em 27 de abril de 2016
Mais em Iniciantes

Participar de uma corrida pode parecer intimidante para iniciantes. Considerar-se velho para correr ao lado de pessoas mais jovens, ter a possibilidade de ficar em último lugar e correr o risco de precisar ir ao banheiro no meio do trajeto são alguns desses temores.

leia-mais-cinza
icon texto_menor  CINCO DICAS PARA A MENTE NÃO SABOTAR SEUS TREINOS 
icon texto_menor  TENSÃO PRÉ-PROVA 
icon texto_menor  COMO CONTROLAR A ANSIEDADE ANTES DA PROVA 

Não existe uma fórmula mágica para acabar com isso, mas uma preparação pré-prova deve ajudar, por exemplo, a minimizar aquela ansiedade, nervosismo e angústia que podem aparecer às vésperas de uma corrida e despertar esses temores em você. Listamos oito medos mais comuns e o que você pode fazer para superá-los.

Medo de correr na frente de desconhecidos                                                  

Muitas pessoas dizem que se sentem intimidadas na hora de correr em público, porque acham que todo mundo vai “olhar” e fazer julgamentos. Vestir a roupa certa para correr pode fazer com que você se sinta mais confortável enquanto corre em público. Para as mulheres, é também importante usar o top certo.

Não aguentar correr

Crie metas tangíveis, possíveis de serem concluídas. Não queira correr 10 km se nunca correu 5 km. Não se coloque em uma situação de insucesso. Comece sempre passo a passo e divida em partes cada atividade que se predispôs a fazer, de maneira que o caminho se torne menos desgastante e, sim, mais prazeroso a cada passo conquistado.

Vontade de ir ao banheiro

Muito dessa vontade incontrolável tem a ver com a alimentação inadequada (fermentação). Procure ir ao banheiro antes de iniciar a atividade física, hidrate-se durante o exercício e restrinja certos alimentos, gorduras e frituras, por exemplo. Atitudes como essas minimizam a possibilidade de acontecer esse problema. Conhecer o local da corrida e saber se há banheiros por perto também pode ajudá-lo em caso de “emergência”.

Ser o último a chegar

É importante conhecer a sua verdadeira realidade física, de modo que, se isso acontecer, não lhe cause nenhum constrangimento perante as pessoas. Dê uma conotação diferente ao caso. Orgulhe-se, por exemplo, de estar superando mais um grande desafio e chegue com um sorriso no rosto e satisfação por ter concluído a prova.

Idade

Você nunca está velho demais para correr. Enquanto estiver com boa saúde, você pode começar suas primeiras provas de 5 km. Corredores mais velhos sempre inspiram os mais novos, que sonham em chegar à casa dos 90 com a mesma disposição que eles para continuar quebrando recordes.

Falta de ar

Ritmo fora dos seus padrões de conforto e problemas de baixa e/ou alta umidade são os grandes vilões do trabalho respiratório. Para evitar esse desconforto, faça uma atividade leve e gradativa, respeitando as faixas de frequência cardíaca com relação à faixa etária. Some a isso a preocupação com a hidratação correta e a escolha do melhor horário para praticar o esporte.

Câimbra

É sinal de falta de potássio devido à deficiência natural ou ao esforço exagerado. Treinos planejados e balanceados e uma alimentação rica em potássio, como banana, tomate e laranja, ajudam muito a evitar esse incômodo muscular. Alongar-se sempre, além de depois dos treinos, também ajuda a evitar os riscos.

Dor de lado (baço)

Do lado direito do corpo está o fígado. Do esquerdo, o baço. Ambos bombeiam e filtram o sangue. E quando existe um desequilíbrio no trabalho de respiração (inspiração e expiração), motivados em especial pela quebra de ritmo na atividade física, o corredor sente aquelas “pontadas” no baço. O importante, nesse caso, é diminuir a intensidade do exercício e retomar o equilíbrio e o controle do trabalho respiratório.

(Fontes: Matéria publicada na revista O2 nº72, abril de 2009, Valéria Sapienza, psicóloga esportiva da Life Psicologia, e Rogério Carvalho, diretor técnico da UPfit Assessoria Esportiva, de São Paulo)