Dicas para perder o medo de competir

Atualizado em 20 de setembro de 2016
Mais em Corrida

Quase todo corredor já sentiu alguma vez aquela famosa sensação de frio na barriga antes de uma prova. Nessa hora, o medo de competir faz surgir diversos questionamentos na cabeça do atleta: se ele vai conseguir completar a prova, se pode sofrer uma lesão ou se vai conseguir atingir o tempo esperado.

Quando o medo se faz presente, o corpo sofre. As reações mais comuns: as mãos tremem, a respiração encurta, o coração acelera e a concentração diminui. Resultado: o rendimento do atleta é prejudicado e sua experiência na prova pode ser uma sucessão de erros.

Quando o medo está se aproximando, é fundamental, em um primeiro momento, que o atleta entenda os motivos e pensamentos que estão atrapalhando a sua performance. O segundo passo seria o da autoaceitação, quando ele deve compreender seus erros e falhas. Após esse estágio, é preciso que o atleta questione cada um dos seus medos, se perguntando sobre as chances de concretização.

Se ele está com receio de não completar a prova, por exemplo, deve pensar quais os reais motivos que o impediriam de terminar o percurso. O foco deve passar, em seguida, aos aspectos positivos que estão a favor, como o fato de estar treinado, bem alimentado, conhecer o trajeto e preparado para a prova.

Fazer ese exercício irá ajudar o corredor a superar o medo de competir ao ver que ele está apto a enfrentar o desafio e alcançar, dentro dos seus limites, seus objetivos. Mas, no final, caso esse medo se concretize, o mais importante é o atleta entender que aquela meta pode não ter sido alcançada hoje, mas que com uma boa estratégia de treino ela pode vir a ser conquistada em breve. Todo mundo falha, antes de conseguir vencer.

(Fonte: João Alexandre Borba, Co-CEO do Instituto Internacional Japonês de Coaching e Psicólogo)