Como respeitar o ritmo de adaptação do corpo

Atualizado em 29 de abril de 2016
Mais em Iniciantes

No início pode parecer difícil manter os treinos, já que, apesar de prazerosa e benéfica para a saúde, a corrida de rua também traz alguns pontos penosos, como as dores comuns às primeiras investidas nas passadas. Mas quando você se adapta aos novos estímulos dados ao corpo, tudo fica muito mais fácil.

Para isso, é preciso que você respeite o tempo de adaptação do corpo à corrida.

Com um planejamento individual de treinamento e seguindo à risca os dias de descanso e a progressão de volume e carga, seu organismo passa a se acostumar com a corrida e, assim, fica mais fácil manter os treinos e progredir.

Tenha em mente que nessa primeira etapa a corrida deve ser feita aos poucos. Se você está sem se exercitar há muito tempo, certamente, vai precisar de mais tempo para se acostumar com as passadas do que uma pessoa que ficou um ou dois anos sem fazer nada. Por isso, aproveite esse primeiro momento para experimentar velocidades confortáveis.

Você pode até estar ansioso pelos resultados, afinal começou a correr por ter algum objetivo. Mas saiba que se você não tiver calma, não existirá melhora e você vai acabar se frustrando com os treinos.

leia-mais-cinza
icon texto_menor  COMO SE COMPORTAR NA CORRIDA EM GRUPO
icon texto_menor  7 DICAS PARA CORRER COM UM PARCEIRO
icon texto_menor  COMO PREPARAR A CABEÇA PARA A CORRIDA

Enquanto você corre, diversas adaptações acontecem no seu corpo. Por isso, é mais difícil manter o ritmo nesse começo. Você passa por mudanças fisiológicas gerais, como o aumento da massa muscular, a diminuição da frequência cardíaca em repouso, a perda de peso, o fortalecimento ósseo, ligamentar e motor, a melhora na qualidade de sono, do apetite e da auto- estima ,a diminuição da ansiedade e da pressão arterial. Para isso tudo acontecer, seu corpo precisa de tempo.

E o que fazer com as dores comuns nessa fase inicial? Não fique tão preocupado. Elas são causadas pelo ácido lático, produzido durante o exercício, que fica acumulado nos músculos trazendo a sensação incômoda. Mas com o passar dos dias isso diminui. Mas atenção, pois dores mais fortes não devem existir. Quantificando de maneira certa o volume e a intensidade dos treinos, você não sofrerá com dores tão intensas. Entretanto, se durante o treino você sentir algo diferente, o ideal é diminuir o ritmo, o volume e a carga. Volte um pouco na progressão dos treinos, pois esse incômodo pode ser um sinal de que algo está errado.

E tenha regularidade na corrida. É ela quem vai dar o ritmo ideal para as suas passadas e fará com que você não perca o fôlego. Lembre-se, sempre, de que o organismo precisa de regularidade para ficar mais forte.

(Fonte: Paulo Rennó, diretor técnico da Paulo Rennó Assessoria Esportiva)