Como planejar o calendário de provas

Atualizado em 21 de julho de 2017
Mais em Iniciantes

Com certeza, todo corredor já começou a pensar quais serão os desafios e metas para a próxima sequência de provas. Contudo, pensar, apenas, não é suficiente para garantir que o atleta consiga alcançar seus objetivos e encerrar o período superando suas expectativas. É de extrema importância que ele faça um planejamento anual do calendário de provas para não correr o risco de se frustrar ou, pior, acabar se lesionando.

Para tornar essa tarefa um pouco mais fácil, o treinador Jefferson Brasileiro de Souza preparou uma série de dicas que valem tanto para corredores de provas curtas como para os de longa distância.

Tempo de preparo: Seja qual for o desafio que o atleta estiver pensando em fazer, em primeiro lugar, é essencial que ele leve em consideração o tempo de preparo para cada distância. “Em média, podemos dizer que para provas de 5 km é preciso no mínimo de 12 semanas; para as de 10 km, 20 semanas; e para as de 21 km de pelo menos 40 semanas”, explica o treinador, lembrando que esses prazos levam em consideração uma rotina de três treinos por semana e que podem variar de acordo com o atleta. “Não adianta se inscrever para uma prova se você não tem tempo para se preparar para ela”, comenta.

Escolha das provas: A maioria das pessoas escolhe as provas que os amigos vão correr, porém é preciso pensar eu outros pontos que vão além da companhia, como o objetivo do atleta e sua capacidade física. “Iniciantes devem procurar se inscrever em corridas curtas para adquirir condição física e psicológica, podendo variar o nível de dificuldade de acordo com o percurso. Já os que querem encarar grandes percursos precisam saber se vão ter tempo para fazer treinos longos. E seja qual for a distância, opte pelas provas de bons organizadores, pois são mais seguras e divertidas”.

Provas-alvo: Para motivar o corredor, é legal estabelecer algumas provas-alvo em cada semestre, tomando cuidado para que não sejam nem muito fáceis e nem muito rigorosas. Essas escolhas devem, ainda, estar alinhadas com o objetivo do corredor, como abaixar o tempo em um determinado percurso ou aumentar a distância.

Quantidade de corridas: Por mais curta que seja a prova, o atleta sempre vai um pouco mais além dos seus limites. “Isso gera um choque em todo o organismo, fazendo com que ele precise de um tempo para se recuperar, voltar a treinar e se preparar para outra corrida”, diz o treinador. Muitos corredores não levam isso em conta e acabam sobrecarregando demais o corpo. “Minha sugestão é fazer no máximo uma corrida por mês de 5 km, uma a cada dois meses de 10 km, uma a cada trimestre de 21 km e uma por semestre de 42 km”.

 

(Fonte: Jefferson Brasileiro de Souza, formado em Educação Física e especialista em Biomecânica, Avaliação Física e Treinamento Desportivo; é treinador de corrida, triathlon e ciclismo pela Ztrack Esporte e Saúde)