Como encarar descidas e subidas na trilha

Atualizado em 23 de junho de 2017
Mais em Treinamento

Correr na montanha é diferente de correr na rua. E isso não apenas pelo terreno. Na trilha as provas são mais exigentes e a técnica de corrida também. O corredor tem que ter habilidades específicas para progredir em diferentes tipos de piso (terra, lama, areia, pedregulho, grama, mato alto) e, acima de tudo, saber encarar as diferentes altimetrias. Tem muito mais descidas e subidas na trilha. E é preciso acrescentar a elas mato, galhos, pedras, lama, areia etc, um prato cheio para muita gente travar no meio do trajeto e não conseguir subir nem descer correndo.

Pensando nisso, elencamos dicas essenciais para você trabalhar essas habilidades. Com um treino específico é possível melhorar a parte técnica. Mas lembre-se de que um dos pontos altos da corrida de montanha é justamente o sobe e desce. Por isso, por mais bem preparado que você esteja, muitas vezes, vai dizer: impossível subir ou descer correndo este trecho. Essa é a graça.

 

 

Subidas

– Para subir é preciso melhorar sua condição física. Por isso, corra mais em subidas e escadas para se preparar para a montanha. Acrescente, mesmo que na rua, longas subidas nos treinos.

– Faça um trabalho de força na academia. Para subir, você precisa de uma musculatura forte. Assim, invista em treinos de força para membros superiores e para o core, centro de força do corpo.

– Treine o psicológico. Tem gente que odeia subida e, simplesmente, já desanima só de se deparar com uma. Seja amigo delas, pois com toda certeza ela estará no meio do caminha na corrida de montanha. Ao se deparar com aquela ladeira enorme, foque nos treinos de subida que você já fez e curta o percurso e a bela paisagem até chegar ao topo.

Descidas

– Existem as pessoas que odeiam mais as descidas do que as subidas. Na verdade, descidas muito íngremes machucam mais, pois a musculatura sente muito o impacto, especialmente os quadríceps. Isso o impossibilita de correr como quer e em velocidade, pois os riscos de quedas são maiores.

– Para ter bom rendimento, invista em treinos de equilíbrio, pliometria e agilidade. Bons exemplos são saltos, corrida com troca de direção e exercícios que usam a escada de agilidade.

– Simule o terreno que você não tem. Nem todo mundo mora perto de uma trilha ou tem acesso fácil a elas para treinar pelo menos uma vez na semana. Faça seu próprio parque de diversões. Vá a uma praça ou parque, pule lixeiras, bancos, suba e desça escadas e guias de calçada. Isso ajuda no ganho de rendimento para as descidas na trilha.

– Algumas provas também podem fazer parte do treino para sua prova-alvo. Por isso, insista em tentar correr cada vez mais nas descidas. Quedas são comuns, mas não se iniba por conta delas.

(Fonte: Mirlene Picin, atleta profissional de trail run)