Teixeira e Campos vencem 2ª etapa do Big Biker

Atualizado em 21 de setembro de 2018
Mais em Bike

POR CHRISTIAN BAINES

O paulista Arley Teixeira (Caloi/Scatt Bikes), 22 anos, e a mineira Roberta Campos (WGS Huber Suhner MTB Team), 24 anos, venceram no último dia 16 de julho, em Itanhandú (MG), a segunda etapa do Big Biker — prova válida para a Super Copa de mountain bike.

Forçando o ritmo nos 300 metros finais, Teixeira venceu na categoria elite masculina, seguido de Daniel Carneiro e Tácio Camargo, ambos da equipe Merida/Power Bar/Reebok, e Hugo Pradoneto, da Specialized. Os três ciclistas reclamaram bastante da largura da estrada na reta final da prova.

O último trecho do percurso era realmente bastante estreito, o que impedia ultrapassagens. A Merida, dos atletas Daniel Carneiro e Tácio Camargo, teve sua estratégia comprometida ao ser surpreendida pela estreita reta final. A idéia era embalar Camargo, que está melhor colocado na classificação geral da Super Copa, mas foi Carneiro quem ficou com o segundo lugar na prova. Pradoneto, que também estava nos quatro escapados, disse não esperar que uma prova de alto nível como a Big Biker terminasse em um afunilamento após uma curva.

Teixeira garante que também não sabia como seria o trecho final e só acelerou porque acreditava estar nos últimos quilômetros. “A prova tinha um percurso de 92 km. Meu velocímetro já marcava 94 km; resolvi, portanto, acelerar o ritmo. Foi um risco que corri. Poderia ter sido muito antecipado”.

Antes da prova, o ciclista, que está em seu primeiro ano na categoria elite, ocupava a oitava colocação na Super Copa. “No começo do ano ainda estava meio perdido com as diferenças da sub 23 para a elite, mas agora estou pegando o jeito”.

Entre as mulheres, a primeira a cruzar a linha de chegada foi a carioca Natália Brito (Amazonas/Kona/Proshock), que compete na categoria pro. Brito largou bem e superou as atletas da elite logo no primeiro trecho de subida.

A vencedora na categoria elite, Roberta Campos, nascida em Caxambu (MG), não neutralizou Brito porque estava preocupada com as atletas de sua categoria. “Deixei ela ganhar distância porque não é minha adversária direta. Além disso, ainda neste mês, vou competir os Jogos Regionais e o Campeonato Brasileiro de cross country. Quanto menos eu me desgastar aqui, melhor”, afirma Campos.

A mineira ocupa agora o segundo lugar da Super Copa, mas diz ainda não estar 100%. “No trecho final, senti que minhas pernas já não respondiam”. A intenção da ciclista é estar preparada para o Campeonato Brasileiro de maratona, que acontece no dia 24 de setembro. “Troquei de técnico no meio da temporada. Tivemos de recomeçar os treinamentos. Espero estar bem fisicamente em setembro, para o Brasileiro de maratona”.