Pedalar ajuda a reduzir risco de doenças cardíacas

Atualizado em 21 de março de 2018
Mais em Papo de Pedal

Publicado na revista científica British Medical Journal, um estudou constatou que ir ao trabalho de bicicleta diariamente acarreta uma diminuição de 41% no risco de mortes prematuras e redução de 45% nas chances de desenvolver doenças cardíacas e câncer. 

Os pesquisadores da Universidade de Glasgow, na Escócia, acompanharam mais de 260 mil moradores de áreas urbanas durante cinco anos para chegar às conclusões – você pode ler o estudo na íntegra aqui

 

Benefícios 

Para o ortopedista Henrique Gurgel, médico do Instituto Vita, em São Paulo, o estudo amplia o conhecimento que já existe sobre os benefícios da prática de ciclismo para a saúde corporal. “Ao pedalar de maneira moderada, o adepto à bicicleta fortalece diversos músculos do corpo, principalmente das coxas, pernas e coluna vertebral, assim como os dos membros superiores e da região abdominal“, diz. 

O médico lembra, no entanto, que exercícios realizados de maneira exagerada podem trazer malefícios ao invés de benefícios. Pedalar com a postura errada pode ocasionar sobrecarga em regiões como joelhos, quadris e coluna. “Podem surgir lesões de menor gravidade, como tendinites e bursites nesses locais, ou discopatias (doenças do disco intervertebral), além de lesões mais sérias como compressões de raízes neurológicas na coluna (ciatalgia) e desgastes das cartilagens articulares (osteoartrose)”, alerta.

Segundo o especialista, para prevenir essas perigosas patologias e aproveitar ao máximo os benefícios proporcionados pela bike, é importante evitar os exageros, pedalar com postura correta e manter uma rotina de fortalecimento físico e alongamento muscular, principalmente das regiões mencionadas, sem forçar as articulações.

 

Bicicleta é tendência

Utilizar a bicicleta como meio de transporte já é um hábito bastante popular em diversas cidades europeias, e nos últimos anos ganhou mais espaço em metrópoles brasileiras como São Paulo. Muitas pessoas optam pela bike não só por ser um modo sustentável e eficiente de se deslocar, mas também por ser um sinônimo de saúde.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda a prática semanal de pelo menos duas horas e meia de exercícios aeróbios moderados como a bicicleta. Esse tipo de atividade melhora a pressão arterial, ajuda a manter o peso corporal adequado e auxilia na diminuição da incidência de doenças crônicas como o diabetes. Além disso, a prática esportiva promove uma importante sensação de bem-estar, prevenindo a depressão.