Doping no ciclismo: Belga pode pegar 2 anos

Atualizado em 05 de agosto de 2016
Mais em Notícias

Jaak Fransen, procurador da Federação Belga de Ciclismo (RLVB), pediu nesta quinta-feira a suspensão de Greg Van Avermaet (BMC) por dois anos. O ciclista é acusado de ter usado, em 2012, uma substância chamada Diprophos, corticosteroide que figura na lista de produtos do doping no ciclismo.

Nome de destaque do ciclismo belga, Van Avermaet pode ainda ser condenado a uma multa de 262.500 euros e à anulação de seus resultados esportivos de 2012, de acordo com o jornal belga Le Soir.

Em audiência realizada nesta quinta-feira na sede da Federação Belga, em Bruxelas, o ciclista declarou-se inocente e apresentou um atestado médico que o autorizava a fazer uso do corticosteroide para tratar uma contusão no calcanhar.

Baseado em trocas de e-mails realizadas entre Van Avermaet e o médico belga Chris Mertens, de novembro de 2009 ao final de 2012, Frensen argumenta que o tal atestado não passaria de uma manobra previamente combinada pelo ciclista para criar um álibi que o inocentasse da acusação de doping.

“Pode haver um atestado para o uso de cortisona e pode não haver provas diretas, mas o conteúdo dos e-mails entre os dois indica a atitude típica do consumo de cortisona, comum naquela época (2012) para a melhora do desempenho esportivo”, disse o procurador.

Os testes feitos no belga, que recorreu à substância a 29 de março de 2012, três dias antes da edição do Tour des Flandres daquele ano, não revelaram qualquer rastro do corticosteroide.

Em defesa de Van Aguvermaet, seu advogado argumentou que o belga passou por 98 exames antidoping ao longo da carreira, sem nunca ter sido pego.

A Comissão disciplinar da RLVB deve emitir um parecer sobre o caso em 07 de maio.