Arquivo pessoalFoto: Arquivo pessoal

Americano cruza 14 países de bike por boa causa

Atualizado em 20 de setembro de 2016
Mais em Bike

Para arrecadar dinheiro e divulgar um tipo raro de câncer que afeta sua família, o ciclista americano Cameron Hatch embarcou em uma viagem de bike do Alasca até a Argentina, na qual passará por 14 países do Continente Americano. Ele iniciou sua aventura no dia 17 de maio do ano passado e espera terminá-la em outubro próximo. Atualmente, Cameron se encontra no Rio de Janeiro, onde espera encontrar um emprego que o permita juntar dinheiro para continuar sua longa jornada.

O objetivo do ciclista americano é ajudar seu primo, Cody Hatch, que sofre de paraganglioma, um câncer raro que pode crescer em qualquer lugar do sistema nervoso. Desde que foi diagnosticado, pouco mais de um ano atrás, já foram achados sete tumores em Cody, que teve de passar por pelo menos 12 cirurgias por conta do problema. Não bastasse isso, a mãe de Cody também sofre com esses tumores e suas duas irmãs carregam o mesmo gene responsável por desenvolver essa espécie de câncer. Contudo, as meninas, por sorte, ainda não apresentaram sintomas.

 

 

A família lançou uma campanha na internet em um site de financiamento coletivo, pela qual já arrecadaram pouco mais de 12 mil dólares. Para contribuir, Cameron planejou uma viagem de bicicleta por 14 países. Em cada cidade que ele tem parado, o ciclista conversa com os moradores locais, fala sobre sua causa e espera algum tipo de contribuição, que pode ser desde uma doação, uma palavra de incentivo, um emprego temporário ou até mesmo uma cama para ele dormir.

“Na maioria das vezes eu acampo na barraca que tenho carregado desde o início da viagem, mas algumas vezes as pessoas são solidárias e me deixam ficar em suas casas”, disse. Para compartilhar todas as experiências que tem vivido, Cameron criou uma página no Facebook, que tem usado como um blog.

No Brasil, ele já passou por Minas Gerais, São Paulo e Mato Grosso, onde ficou encantado com a beleza do Pantanal. “Em minha segunda noite no Pantanal, eu acampei a menos de 30 metros de onde uma vaca adulta foi morta por uma onça pintada. Os agricultores ficaram surpresos por eu ter escolhido aquele local, mas eu não tinha ideia que havia animais como aquele na área. Vi diversas aves exóticas, jacarés, entre outros animais”, comentou na rede social.

Depois do Rio, ele vai seguir pedalando para Curitiba e Foz do Iguaçu, até chegar a Ushuaia, na Argentina, seu destino final. “Se eu não conseguir nenhum emprego, contudo, terei que encerrar a viagem antes do planejado, mas estou confiante de que algo vai aparecer”.