Rota Márcia Prado 2014 é cancelada

Atualizado em 05 de agosto de 2016
Mais em Mobilidade

O Instituto CicloBR informou, em nota divulgada nesta terça-feira (09), que a Rota Márcia Prado deste está cancelada. O passeio, que iria acontecer no próximo domingo (14), sofreu uma nova negativa de apoio, desta vez da Polícia Militar, que argumentou não poder dar condições de segurança para os participantes no trecho de Grajaú. Desta forma os organizadores se viram obrigados a cancelar o tradicional passeio.

Após acertarem apoios das Prefeituras de São Paulo e São Bernardo do Campo, e iniciarem negociações com os governos de Cubatão e Santos, o Instituto CicloBR barrou, mais uma vez, na resistência de órgãos estaduais. No caso a Ecovias, administradora do Sistema Anchieta-Imigrantes. O trajeto do passeio contempla 5 km da Rodovia dos Imigrantes, necessários para se acessar o Parque Estadual Serra do Mar.

leiamais-cinza-novo
iconezinho  ROTA MÁRCIA PRADO TAMBÉM FOI CANCELADA EM 2013

No dia 5 de dezembro, por intermédio da Defensoria Pública, o Instituto CicloBR reuniu-se com representantes da ARTESP (Agência de Transportes do Estado de São Paulo), DER (Departamento de Estradas de Rodagem), Polícia Militar e Polícia Rodoviária, na qual os órgãos estaduais se mostraram contrários à passagem dos ciclistas pela Rodovia dos Imigrantes, ratificando a posição da Ecovias.

Os organizadores ainda pensaram em uma alternativa, que seria a mudança do trajeto. Ao invés de terminar no litoral, como tradicionalmente ocorre, os ciclistas passariam pelo início do trecho da RMP, entrariam em São Bernardo do Campo, e voltariam para São Paulo pelo recém formado Pólo Ecoturístico de São Paulo. No entanto, após reunião realizada no dia 9, desta vez com CET, GCM Ambiental, Polícia Militar e um representante da Prefeitura de São Paulo, o Instituto CicloBR recebeu uma negativa da Polícia Miliar, que alegou não ter sido avisada a tempo sobre o evento e que, por isso, não tinha condições de oferecer segurança aos ciclistas no trecho de Grajaú.

De acordo com a nota, a PM havia sido avisada, inclusive pela Prefeitura de São Paulo. Por fim a Polícia Militar ameaçou entrar com uma representação no Ministério Público para barrar o evento com uma nova interdição proibitória.

O Instituto CicloBR ainda ressalta que em 2012, ano da última Rota Marcia Prado, a Ecovias pediu 100 mil reais para ‘apoiar’ o passeio. Já no ano passado os organizadores não realizaram a descida oficial.

O principal objetivo do Instituto CicloBR é oficializar o percurso a fim de torná-lo permanente e próprio para o uso durante o ano inteiro.

Confira aqui a nota completa do Instituto CicloBR.

Foto: Reprodução/Facebook