O primeiro fenômeno

Atualizado em 28 de abril de 2016
Mais em Giro d'Italia

O italiano Afredo Binda (1902-1986), que em 1925 tinha o apelido de “O Antipático” por sua frieza e determinação, mostrou, dois anos depois, toda a sua força ao vencer nada menos do que 12 etapas (foi o recordista de vitórias de etapa no Giro, com 41 triunfos, até ser superado por Mario Cipollini, em 2003), chegando a Milão com 27 minutos de vantagem. Em uma das chegadas, em Nápoles, Binda cruzou em primeiro, correu em direção à banda de música e começou a soprar freneticamente um trompete, mostrando que ainda tinha fôlego.

A edição 1930 fez muito barulho. Depois de ter vencido facilmente em 1925, 1927, 1928 e 1929, Binda foi convidado a ficar em casa, pois sua superioridade esmagadora esfriava a disputa. Para não correr, recebeu a soma atribuída ao vencedor: 22.500 liras.

Enquanto seus adversários pedalavam nas estradas do Giro, Binda percorria a Europa disputando provas de pista e critériums, embolsando aproximadamente a mesma soma. Tricampeão mundial (1927, 1930 e 1932), ele conquistou o Giro novamente em 1933, quando foi organizada pela primeira vez uma etapa de contra-relógio individual, disputada entre Bolonha e Ferrara, em um percurso de 62 km.