As dificuldades dos brasileiros na Suíça

Atualizado em 05 de agosto de 2016
Mais em Ciclismo

A Seleção Brasileira de Ciclismo de Pista entra na última fase da preparação para o Mundial da França, marcado para acontecer entre os dias 18 e 22 de fevereiro em Montigny-le-Bretonneux, na região da grande Paris. Após finalizar a participação na Copa do Mundo, os atletas que representarão o Brasil estão de volta à Suíça, onde ficarão até o próximo dia 13 treinando no Centro Mundial de Ciclismo da UCI.

E as dificuldades na Suíça vão muito além dos treinos diários. A adaptação ao fuso horário e alimentação diferenciada, além de encarar o frio extremo, que chega aos 2ºC negativos, são parte da rotina dos brasileiros no país europeu.

Segundo o técnico, Emerson Silva, que acompanha pessoalmente os atletas no Centro Mundial de Ciclismo, o programa de treinos vem sendo realizado a todo vapor, com o objetivo de acertar os últimos detalhes para o Mundial, que é classificatório para Rio 2016. “Estamos na fase final de preparação para o Mundial. Esse momento é muito importante para corrigirmos os últimos detalhes, podendo entrar na pista confiantes em bons resultados. O grupo está bastante motivado”, declarou Emerson Silva.

leiamais-cinza-novo
iconezinho  BRASIL FECHA SUA PARTICIPAÇÃO NA COPA DO MUNDO

Os atletas brasileiros enfrentam uma rotina pesada de oito horas de treinos diários. Os treinos acontecem no velódromo e na Estrada, intercalados com sessões de academia e fisioterapia. Além de todas as dificuldades, o grupo ainda precisa superar a saudade da família e dos amigos. A seleção principal de Ciclismo de Pista brasileiro faz parte do Projeto de Intercâmbio da CBC, com patrocínio da Caixa Econômica Federal, há mais de um ano, e neste período, vem alcançando resultados inéditos para o pais.

Alimentação

Outro fator interessante na rotina da seleção, fica por conta da alimentação completamente atípica da encontrada no Brasil. O cardápio é selecionado por profissionais da União Ciclística Internacional e contam com carnes exóticas, além da ausência do tradicional arroz com feijão. “Nossa alimentação é totalmente diferente da habitual que estamos acostumados no Brasil. Não temos arroz com feijão, mas comemos bastante verdura, legumes, e outras fontes de carboidratos e proteínas que complementam a dieta da forma como ela deve ser para um atleta de alto rendimento”, destacou Gideoni Monteiro, atleta da seleção.

A relação de vagas e países participantes do Mundial 2015 só será divulgada após a realização do Campeonato Asiático de Ciclismo de Pista, que começou no último dia 4 e segue até 9 de fevereiro.  Antes mesmo da confirmação oficial, o técnico informou que matematicamente a presença brasileira está garantida, só resta saber a quantidade de atletas que poderão ser utilizados. “Estudando o ranking internacional e o desempenho da seleção nas últimas competições, podemos afirmar que a participação está garantida. O que estamos aguardando é a quantidade de vagas que teremos disponíveis”, argumentou Emerson.

Atualmente a seleção têm quatro atletas do Ciclismo de Pista treinando na Suíça em preparação para o Mundial: Gideoni Monteiro, Flávio Cipriano, Kacio Freitas e Hugo Osteti. Os atletas são supervisionados diariamente pelo técnico Emerson Silva, além de toda a equipe multidisciplinar da UCI.

Foto: CBC/Divulgação