Lance sobre o doping no passado: "faria de novo"

Atualizado em 05 de agosto de 2016
Mais em Ciclismo

Banido do esporte pelo resto da vida após ser acusado pela Usada (Agência Antidoping dos Estados Unidos) de ter usado substâncias ilícitas durante sua carreira, Lance Armstrong deu uma polêmica declaração em entrevista à BBC. O ex-ciclista norte-americano disse que se doparia de novo caso estivesse em 1995, quando o uso era disseminado.

“Se eu estivesse competindo em 2015, não, não faria de novo porque eu não acho que você tem que fazer isso de novo. Mas se você me levar de volta para 1995, quando tudo isso era completamente disseminado, eu provavelmente faria de novo. As pessoas não costumam gostar de ouvir isso”, declarou Lance que fez questão de ressaltar que a decisão do doping não foi tomada somente somente por ele.

leiamais-cinza-novo
iconezinho  BIKES USADAS EM FILME SOBRE LANCE ARMSTRONG ESTÃO À VENDA
iconezinho  FEDERAÇÃO PROÍBE LANCE DE PARTICIPAR DE COMPETIÇÃO

“Quando eu tomei aquela decisão, quando minha equipe tomou aquela decisão, quando todo o pelotão tomou aquela decisão, nós entendemos – foi uma decisão ruim na hora errada. Mas aconteceu”, disse Armstrong, que durante anos negou o uso de doping, até que em janeiro de 2013, em entrevista à apresentadora Oprah Winfrey, admitiu o uso de substâncias ilícitas durante sua carreira.

Campeão do Tour de France entre 1999 e 2005, Lance teve todos os seus resultados a partir de 1998 anulados. Com isso, perdeu as sete conquistas na grande volta francesa, além de perder patrocinadores e se ver obrigado a retirar-se da diretoria da instituição de combate ao câncer que ele mesmo criou. Lance também está proibido de participar de qualquer competição esportiva, fato que ele lamenta.

“Veja, claro que eu gostaria de poder voltar às pistas, quem não gostaria? O que é muito frustrante é que se a minha mãe ficasse com esclerose múltipla amanhã – e ainda bem que ela não tem esclerose múltipla -, e isso fosse algo que eu quisesse ajudar e trabalhar por ela, e se eu quisesse correr a maratona de Boston e arrecadar US$ 100 mil para a Associação de Esclerose Múltipla, eu não poderia. E não é só que não poderia correr, eu não poderia andar, não poderia nem correr um pouco e andar nas estações de apoio e finalizar a maratona em mais de 4 horas, mas levantando US$ 100 mil em arrecadação. Eu simplesmente não posso fazer isso”.

Por fim, Lance diz ter se arrependido de voltar ao ciclismo em 2009, após ter dada sua carreira por encerrada em 2005, ano de sua última conquista no Tour de France. “Foi um dos grandes erros da minha vida e eu não tenho um bom motivo para explicar por que eu quis voltar, não tinha nenhum motivo pra isso. Mas se eu não tivesse voltado, não estaríamos sentados aqui tendo essa conversa”.