Conheça as pedras da Paris-Roubaix

Atualizado em 02 de março de 2017
Mais em Ciclismo

Famosa pelas estradas de paralelepípedo, a Paris-Roubaix promete muita dificuldade para centenas de ciclistas que disputam a tradicional competição. A organização da prova – que acontece neste domingo, 12 de abril – catalogou todos os trechos do circuito compostos por paralelepípedos – são 57 km de um total de 253 km.

As estradas foram catalogadas e também classificadas com notas de 3 a 5, de acordo com o nível de dificuldade oferecido aos ciclistas, sendo as de número 5 as piores.

Serão, no total, 27 trechos sobre os famosos “pavés” (paralelepípedos, em francês). As primeiras pedras aparecem no quilômetro 98.5, com um pequeno trecho de 2.2 km de extensão.

Dos 27 setores, o mais temido é a Floresta de Arenberg, no quilômetro 158, em que qualquer queda pode significar fim de prova.

Veja, a seguir, um acidente na Floresta de Arenberg:

Apesar de Arenberg ser considerada a parte da prova com maior nível de dificuldade, as fugas decisivas acontecem em outro setor de terreno tortuoso, a Mons-en-Pévèle.

As duas são ranqueadas como número 5, assim como Le Carrefour de l’Arbre, trecho que se inicia no quilômetro 236 e que costuma marcar os sprint finais.

Thierry Gouvenou, organizador da prova, crê em dificuldade do início ao fim, em especial no trecho decisivo. “Com o tempo, Le Carrefour de l’Arbre se tornou mais e mais difícil. Neste ano, creio que se aproxime em termos de dificuldade à Arenberg”, afirma.

O que esperar da prova

O eslovaco Peter Sagan (Tinkoff-Saxo) e o belga Sep Vanmarcke (Team LottoNL-Jumbo), estrelas das provas Clássicas, terão na Paris-Roubaix a chance de vencer pela primeira vez na temporada 2015 das Monumentais.

Alexander Kristoff, campeão no Tour des Flandres, e John Degenkolb, vencedor da Milano-San Remo, estão em alta e entram entre os favoritos para mais uma conquista na Paris-Roubaix.

Veja trecho a trecho 

Trecho

 

Estrelas

 

27

Troisvilles (km 98.5 – 2200 m)

3

 

26

Viesly (km 105 – 1800 m)

3

 

25

Quievy (km 108 – 3700 m)

4

 

24

Saint-Python (km 112.5 – 1500 m)

2

 

23

Vertain (km 120.5 – 2300 m)

3

 

22

Verchain-Maugré (km 130 – 1600 m)

3

 

21

Quérénaing – Maing (km 133.5 – 2500 m)

3

 

20

Monchaux-sur-Ecaillon (km 136.5 – 1600 m)

3

 

19

Haveluy (km 149.5 – 2500 m)

4

 

18

Trouée d’Arenberg (km 158 – 2400 m)

5

 

17

Wallers – Hélesmes. dit « Pont Gibus » (km 164 – 1600 m)

3

 

16

Hornaing (km 170.5 – 3700 m)

4

 

15

Warlaing – Brillon (km 178 – 2400 m)

3

 

14

Tilloy – Sars-et-Rosières (km 181.5 – 2400 m)

4

 

13

Beuvry-la-Forêt – Orchies (km 188 – 1400m)

3

 

12

Orchies (km 193 – 1700 m)

3

 

11

Auchy-lez-Orchies – Bersée (km 199 – 2700 m)

4

 

10

Mons-en-Pévèle (km 204.5 – 3000 m)

5

 

9

Mérignies – Avelin (km 210.5 – 700 m)

2

 

8

Pont-Thibaut (km 214 – 1400 m)

3

 

7

Templeuve – Moulin de Vertain (km 220 – 500 m)

2

 

6a

Cysoing – Bourghelles (km 226.5 – 1300 m)

3

 

6b

Bourghelles – Wannehain (km 229 – 1100 m)

3

 

5

Camphin-en-Pévèle (km 233.5 – 1800 m)

4

 

4

Le Carrefour de l’Arbre (km 236.5 – 2100 m)

5

 

3

Gruson (km 238.5 – 1100 m)

2

 

2

Hem (km 245.5 – 1400 m)

2

1

Roubaix (km 252 – 300 m)

1