Ciclismo de pista: Brasil é o 13º na Omnium

Atualizado em 20 de setembro de 2016
Mais em Ciclismo

A seleção brasileira de ciclismo de pista volta da cidade de Hong Kong, na China, com a classificação do ciclista cearense Gideoni Monteiro praticamente sacramentada no Rio 2016. Gideoni, que é o principal nome da categoria Omnium no País, fechou sua participação na 3ª e última etapa da Copa do Mundo de Ciclismo de Pista em 17º lugar, com 72 pontos, e repetiu sua posição na 2ª etapa, disputada em dezembro na Nova Zelândia. Com a atualização do ranking da União Ciclística Internacional (UCI) nesta segunda-feira (18), Gideoni ocupa o 35º lugar na classificação da Omnium. Entre os países, entretanto, o Brasil se encontra na 13ª colocação da categoria, dentro da zona de classificação (18 melhores) que confere às nações o direito de levar um ciclista para a disputa dos Jogos.

O último desafio dos brasileiros para obtenção da vaga será o Campeonato Mundial em Londres, entre os dias 2 e 6 de março. Após a competição britânica, a UCI divulgará a lista dos classificados para o Rio 2016 nas categorias Omnium, Scratch, perseguição individual, perseguição por equipes, velocidade individual e velocidade por equipes. Caso consiga um resultado que o mantenha dentro da zona classificação na Omnium, o Brasil conquistará a vaga olímpica, quebrando um jejum que perdura desde Barcelona 1992, última ocasião em que o país teve um representante na disputa do ciclismo de pista.

Final da Copa do Mundo

O Brasil não foi bem nas outras categorias na disputa da última etapa da Copa do Mundo de ciclismo de pista. O paulista Flávio Cipriano, que competiu na prova de velocidade individual, terminou em 34º na geral, que foi a segunda melhor marca brasileira no evento. Para o técnico Emerson Silva, apesar de só Gideoni ter a chance de carimbar a vaga aos Jogos Olímpicos, a performance dos brasileiros agradou e demonstrou evolução nos planos de colocar o país entre os melhores do mundo no velódromo indoor. “As equipes competiram todas as etapas sempre completas e estão usando todos os recursos possíveis para alcançar a classificação olímpica. A evolução da seleção nas três etapas foi imensa e estamos satisfeitos em ver o crescimento de todos nesse período. É um orgulho muito grande ter conseguido a classificação para a Copa do Mundo e chegar aonde estamos. A batalha é árdua, sem férias, longe da família e amigos, mas tudo é recompensado vendo a equipe figurar entre as melhores do mundo”.

leiamais-cinza-novo
icon texto_menor SELEÇÃO DE PISTA PERTO DA VAGA OLÍMPICA
icon texto_menor  ENTREVISTA COM GIDEONI MONTEIRO