'Careta' ajuda a pedalar mais rápido?

Atualizado em 11 de agosto de 2017
Mais em Ciclismo

Sabe aquele momento em que o ciclista cerra os dentes, franze a testa e faz uma ‘bela careta’ em busca de mais força para um sprint ou subida? Involuntária ou não, esta ação dá mais força para o atleta. É o que tenta comprovar um grupo de cientistas através de diversos testes.

Experiências anteriores mostraram que cerrar os dentes e apertar um objeto com mais força aumentam a força no joelho em 14,8%. Este seria, por exemplo, o motivo de halterofilistas fazerem ‘caretas’ na hora de levantar uma barra de ferro. E foi baseado nisso que cientistas tentam comprovar que os ciclistas recebem benefícios semelhantes ao cerrarem os dentes.

O estudo foi feito por pesquisadores de Taiwan que procuravam relacionar expressões faciais com as dificuldades que um ciclista encontra em uma prova.

No experimento, 18 homens e 15 mulheres realizaram uma série de exercícios em bicicletas ergométricas. Conexões espalhadas pelos corpos dos ciclistas mostravam os sinais enviados do cérebro para os músculos da testa e da mandíbula. Os resultados comprovaram o que já era esperado. Quanto mais difícil o pedal, mais forte serão cerrados os dentes e mais franzida ficará sua testa. Ou seja, cientistas concluíram que ‘caretas’ são um bom indicador de dificuldade.

Mais do que um indicador de dificuldade, cerrar as mandíbulas seria um recurso. Para os cientistas, caso os ciclistas apertem os dentes voluntariamente em trechos simples, que não impõem muitas dificuldades, eles pedalarão com mais força.

Agora os cientistas pretendem focar no porquê desta misteriosa ligação entre músculos da face com os músculos da perna. Uma possível explicação estaria em uma área do cérebro subdividida e responsável por controlar a força dos músculos da face e dos membros. Com isso, quando uma parte do corpo (pernas, no caso) demanda mais energia para uma ação, essa ‘energia’ pode acabar sendo passada para outra região (músculos do rosto, no caso).

Na dúvida, não custa tentar. Afinal, quem liga para uma careta quando o resultado pode significar um melhor desempenho no treino.