Alemão John Degenkolb vence Paris-Roubaix

Atualizado em 05 de agosto de 2016
Mais em Ciclismo

Uma estratégia irrepreensível aliada a um desempenho memorável. Assim, o alemão John Degenkolb (Giant-Alpecin) deixou para trás seus rivais, conquistou a tradicional Paris-Roubaix, alcançou sua segunda vitória nas Clássicas Monumentais em 2015 e reafirmou seu papel de destaque nas provas de um dia.

A vitória na Paris-Roubaix veio após o sprint final, quando Degenkolb superou um pelotão de sete ciclistas para cruzar na primeira colocação a linha de chegada, no Velódromo de Roubaix – onde os ciclistas disputaram os últimos 750 metros da prova.

Um triunfo conquistado pelo ciclista alemão com grande superioridade sobre outros atletas que,
antes da prova, eram apontados como favoritos – como o suíço Peter Sagan (Tinkoff-Saxo), o norueguês Alexander Kristoff e o britânico Bradley Wiggins.

Pavés não decidem
Os famosos pavés (linkar matéria de sexta), como são chamadas as estradas de paralelepípedos, não foram – como de costume – decisivos.

Com 2.1 km de extensão, Le Carrefour de l’Arbre – último dos três trechos de pavés considerados cinco estrelas (são 27 no total) – prometia definir o futuro da prova. Sem que nenhum dos favoritos tentasse uma fuga, a prova se manteve equilibrada e com desfecho indefinido, já que nos primeiros 230 km todas as tentativas de escapadas foram controladas.

Nos últimos 20 km, os belgas Greg Van Avermaet (BMC Racing Team) e Yves Lampaert (Etixx – Quick-Step) iniciaram a fuga que começou a definir a prova.

A arrancada deu o sinal para que Degenkolb, especialista em provas clássicas e um dos melhores sprintistas do mundo, saísse de sua zona de conforto para se juntar aos líderes.

Uma vez na ponta, o alemão escolheu não impor logo de cara seu ritmo superior para tomar a liderança. Em vez disso, chegou a pedir a Van Avermaet e Lampaert que os três andassem juntos, para diminuir o desgaste e impedir a aproximação do pelotão.

A estratégia preservou a energia do trio da frente, mas não impediu a aproximação do tcheco Zdenek Stybar (Etixx – Quick-Step), do holandês Lars Boom (Astana Pro Team), do suíço Martin Elmiger (IAM Cycling) e do belga Jens Keukeleire (Orica GreenEdge).

Os sete chegaram juntos ao velódromo e deixaram para a arrancada final a decisão do título. Uma vez na pista, Degenkolb fez valer sua maior velocidade e levou com tranquilidade a corrida. Stybar e Van Avermaet concluíram a prova na segunda e terceira posições.

Decepções
Muita expectativa foi gerada sobre o desempenho na Paris-Roubaix dos grandes astros do ciclismo. A maioria deles, porém, decepcionou. Caso de Peter Sagan – medalhão da Tinkoff-Saxo que faz temporada de altos e baixos –, que ficou preso no primeiro pelotão, não brigou pela liderança em momento algum e terminou em 23º lugar.

O britânico Bradley Wiggins e o dinamarquês Alexander Kristoff (Katusha) também tiveram desempenho aquém do esperado. O primeiro, que se despedia da equipe SKY, foi o 18º; o segundo não foi além da 10ª colocação.

Confusão com trens
A bruxa segue solta nas Clássicas. Após o Tour des Flandres ficar marcado pelo atropelamento de dois pilotos pelos carros de auxílio da organização, a Paris-Roubaix teve também sua cena inusitada. Quando faltavam 91 km, poucos depois do trecho de pavé da floresta de Arenberg, 91 ciclistas tiveram que interromper por longos segundos suas provas por conta de um trem que atravessou a estrada e que acabou abrir um grande espaço e dividir o grupo em dois pelotões.

Confira a classificação geral da Paris-Roubaix:

 

#

Ciclista (País) Equipe

Result

1

John Degenkolb (Ger) Team Giant-Alpecin

5h49min51s

2

Zdenek Stybar (Cze) Etixx – Quick-Step

5h49min51s

3

Greg Van Avermaet (Bel) BMC Racing Team

5h49min51s

4

Lars Boom (Ned) Astana Pro Team

5h49min51s

5

Martin Elmiger (Swi) IAM Cycling

5h49min51s

6

Jens Keukeleire (Bel) Orica GreenEdge

5h49min51s

7

Yves Lampaert (Bel) Etixx – Quick-Step

5h49min58s

8

Luke Rowe (GBr) Team Sky

5h50min19s

9

Jens Debusschere (Bel) Lotto Soudal

5h50min20s

10

Alexander Kristoff (Nor) Team Katusha

5h50min22s