Vibram segue otimista com FiveFingers

Atualizado em 24 de julho de 2014
Mais em

Apesar do recente processo sofrido pela Vibram FiveFingers por uma consumidora sob alegação de propaganda enganosa, a empresa continua otimista sobre o futuro do seu produto mais conhecido: o Vibram Bikila EVO. Tanto é que eles lançaram, recentemente, uma campanha para continuar incentivando a corrida minimalista. A marca garante que aqueles que comprarem um par do calçado, a partir de agora até o final do ano, por meio do site oficial da companhia, terá o valor total do calçado devolvido caso não fique satisfeito com a experiência após seis meses de uso.

leia-mais-cinza
icon texto_menor  TÊNIS MINIMALISTAS PODEM MODIFICAR FORMATO DOS PÉS, DIZ ESTUDO
icon texto_menor  QUANDO OPTAR POR UM TÊNIS MINIMALISTA?
icon texto_menor  PÉS NO CHÃO 

A marca atualizou vários modelos de sua linha nos últimos meses, incluindo o Bikila EVO, que diferente de outros pisantes da companhia, promete amortecimento adicional. Agora o tênis está totalmente diferente, contando com entressola mais espessa e sola diferenciada para garantir melhor desempenho em superfícies secas e molhadas.

Mesmo badalada, a venda dos calçados minimalistas está caindo lá fora, segundo dados da indústria de artigos esportivos SportsOneSoure. A receita proveniente desses produtos cresceu rapidamente de 2011 para 2012, mas teve queda de 30% no último ano e, até agora, caiu cerca de 50% em 2014. Ainda segundo a SportsOneSoure, mesmo no auge, os tênis minimalistas ainda representam uma pequena parcela do mercado de corrida, que movimenta R$ 7 bilhões por ano.

Entenda o caso
Em maio deste ano, depois de processo sofrido por consumidora, a Vibram FiveFingers assumiu publicamente que não tem como provar que os seus pisantes entregam o que prometem. Segundo a empresa, os calçados ajudariam a fortalecer os músculos e a evitar lesões, o que não está comprovado.

Além disso, a companhia ainda cogitou reembolsar o valor pago pelos calçados aos consumidores que adquiriram o produto depois de março de 2009.