Vença lesões e volte a correr

Atualizado em 07 de agosto de 2007
Mais em

Por Juliana Saporito

Nunca é fácil tomar a decisão de parar. Principalmente quando se está acostumado à rotina de treinos e à disputa de provas. Quando uma lesão muscular ou algum problema de saúde pega você de surpresa, a recuperação requer paciência, coragem e muito pensamento positivo.

Mariana Arantes conhece bem essa situação e luta para voltar a correr. Depois de iniciar os treinos em janeiro, com o objetivo de participar de sua primeira São Silvestre, foi pega de surpresa pelo diagnóstico de hérnia de disco. “Acreditava ter condições de continuar correndo quando não sentia dor, talvez por querer adiar a decisão de parar. Passei a consultar médicos e, então, depois de passar por um fisioterapeuta que me explicou todo o caso, interrompi os treinos. Foi muito doloroso deixar a equipe para me dedicar somente à minha recuperação”, contou Mariana.

Tanto o lado psicológico quanto o físico devem ser priorizados para que seja possível ponderar, parar e, então, trabalhar pela melhora. Acreditar que é possível retomar as forças é o primeiro passo. E dedicar tempo aos treinamentos e à fisioterapia, quando necessário, são fatores ligados totalmente à motivação e absolutamente importantes. Uma boa dica é não se afastar da equipe de treinos e nem dos amigos. Visite-os, vá aos treinos, converse. “Isso vai manter a corrida ainda como parte do seu dia-a-dia”, explicou a psicóloga Maria Angélica Crono.

Cuide do físico
Dedicar-se à recuperação da parte física é tão importante quanto a preparação que os atletas costumam empregar nos treinos. E há grupos musculares principais que vão garantir um rápido retorno às pistas e, ainda, evitar novas lesões.

Moisés Cohen, professor livre-docente do departamento de ortopedia e traumatologia da Unifesp e diretor do Instituto Cohen de Ortopedia, revela que a força abdominal é primordial para o bom condicionamento do corredor. “As principais lesões dos praticantes de corridas são na coluna, causadas pelo forte impacto que a modalidade exerce. E o abdômen, assim como a coluna dorsal, são responsáveis pela sustentação de todos os membros inferiores, que são as ferramentas do atleta”, explica o médico.

Mariana segue esta linha e já alcança resultados. “Passei a praticar Pilates três vezes por semana para fortalecer a parte abdominal e retomei as caminhadas, sempre que tenho tempo”, disse. Ela ainda não tem condições de traçar uma meta a curto prazo, mas garante que vai voltar a correr. “Além de recuperar a coluna, quero recuperar a cabeça. Tirei o pé do acelerador, tenho lido muito sobre o assunto e tudo o que quero é voltar logo”, finalizou com otimismo.