Sobre rodas

Atualizado em 14 de julho de 2008
Mais em

Por Ana Paula de Oliveira

Uma virtude do ciclismo infantil, além do condicionamento aeróbico e cardiorrespiratório, é auxiliar o desenvolvimento da criança, afinal, pedalar equilibrado sobre duas rodas, fazer curvas e ainda prestar atenção ao trajeto exigem bastante da coordenação motora e da cognitiva.

O ciclismo é um excelente aliado para trabalhar a força dos membros inferiores. “Salvo poucas exceções, qualquer criança está apta a pedalar, desde que tenha o equipamento de segurança adequado e uma bicicleta adaptada ao seu tamanho”, orienta Drummond, explicando que um quadro muito maior ou menor do que o tamanho da criança pode causar de dor a lesões articulares e musculares, especialmente nos joelhos e na região lombar.

Por ser um esporte individual, o ciclista-mirim precisa observar, na rotina de sua prática, os fatores que influenciam o seu desempenho. Com isso, o ciclismo contribui para que a criança aprenda com seus erros e acertos, proporcionando uma maior concentração e disciplina.

Mas é somente na puberdade e no começo da adolescência que especialistas aconselham um aprofundamento na prática do esporte. Até os 12, 13 anos, a criança deve é se divertir com a bicicleta.

E é sob esse princípio que trabalham as escolinhas de ciclismo –oferecidas gratuitamente pelas principais equipes de ciclismo do país. “Até os 13 anos, trabalhamos a coordenação motora e a habilidade da criança, mas tudo de maneira lúdica. Temos competição, mas, na maioria das vezes, ganha quem chegar por último. Isso porque, quanto mais devagar, mais difícil é pedalar”, diz Renato Buck, técnico da equipe de Iracemápolis e um dos precursores desse tipo de escola no país.

Se você acha que seu filho possui aptidão para o ciclismo, existem equipes profissionais que oferecem gratuitamente treinamento de base –tanto como forma de inclusão social, como para formar novos talentos.

Livre-se da preocupação
Para que você não fique preocupado toda vez que a criança saia para pedalar, certifique-se de que o local não tem trânsito –o ideal são parques, ciclovias, ruas de lazer– e que ela esteja com equipamentos de segurança adequados:

  • Capacete é essencial
  • Crianças pequenas devem usar joelheiras e cotoveleiras
  • Sandálias e chinelos de dedo atrapalham a pisada no pedal, além de não protegerem os pés em caso de queda. O indicado são tênis confortáveis

    Dicas de treinamento
    Se a criança já possui um certo domínio na bicicleta, aqui vão alguns exercícios que podem melhorar sua aptidão com a magrela:

  • Pedale o mais lentamente que puder sem colocar os pés no chão
  • Faça curvas fechadas o mais devagar possível
  • Freie a bicicleta e só coloque os pés no chão quando ela estiver completamente parada
  • Pare a bicicleta, conte até três e arranque de novo – sem colocar os pés no chão. Aumente o tempo de parada
  • Coloque cinco latinhas no chão, com espaço de três metros entre elas. Passe por elas em “S”. Diminua a distância entre as latas conforme for melhorando
  • Em pé sobre os pedais, faça curvas e freie
  • Em pé sobre os pedais, com joelhos dobrados, passe por buracos ou pequenos obstáculos
  • Passe em espaços apertados
  • Desça um degrau
  • Nossas calçadas geralmente são acidentadas, péssimas para pedestres, mas ótimas para ciclistas praticarem o equilíbrio

    Fonte: Escola de Bicicleta (www.escoladebicicleta.com.br)