RAAM 2007 chega ao fim e consagra brasileiros

Atualizado em 27 de junho de 2007
Mais em

Por Juliana Saporito

A edição 2007 da RAAM – Race Across American –, aconteceu entre os dias 10 e 20 de junho. A competição é uma verdadeira maratona de resistência, que atravessa o território norte-americano de costa a costa, e considerada a prova de distância mais difícil do mundo. Durante os dez dias, sem paradas, os ciclistas atravessam todo o país e enfrentam diversos tipos de clima e de relevo, passando até mesmo pelo deserto do Mojave, uma das rotas mais complicadas e perigosas. A prova tem um percurso total de 4.898,6 km, de ponta a ponta entre os Oceanos Pacífico e Atlântico, partindo da cidade de Ocean Side, na Califórnia, chegando a Atlantic City, em Nova Jersey.

Na categoria solo, a vitória coube ao esloveno Jure Robic, que sagrou-se tricampeão da prova completando o percurso em 8 dias, 19 horas e 33 minutos. Os brasileiros Cláudio Clarindo e Júlio Paterlini participaram da prova e fizeram bonito, finalizando a longa rota, Clarindo chegou em 11 dias, 18 horas e 4 minutos e Paterlini cruzou a linha cerca de duas horas e vinte minutos mais tarde. Ambos tiveram desconto no tempo por penalidades sofridas.

Na disputa por equipes, o Brasil foi representado pelo time Vencendo Desafios Team Brazil, composto pelos atletas Milan Marcio, Joaquim Martins, Miguel Carmo e Francisco das Chagas Souza Silva representou a nação. O grupo completou o RAM 2007 em 8 dias, 2 horas e 42 minutos.

Brasileiros Vencedores

Ambos nascidos na cidade de Santos, litoral paulista, Cláudio Clarindo e Júlio Paterlini entraram para a história da competição. A chegada ao final da prova no dia 22 de junho vale, na verdade, uma grande vitória dadas as adversidades e enormes dificuldades reconhecidas do RAAM. Os ciclistas, que foram adversários na prova, chegaram a Atlantic City, após pedalarem 4.898,6 km ininterruptamente, cruzando todo o território dos Estados Unidos.

O santista Clarindo (Unilus/ A Tribuna/ Ciclovece) sagrou-se o primeiro latino-americano a completar o desafio na solo e ficou em 11º lugar na classificação final. Paterlini (Sundown, Memorial, Epic Line, Cateye, Profile, PowerBar e Prefeitura de Santos) ficou logo atrás, na 12º colocação.

“Ainda não estou acreditando que pedalei tudo isso. Foi uma satisfação para o Brasil, para Santos, que dois ciclistas completaram esse desafio”, comentou Clarindo, que ainda lembrou muitas das dificuldades enfrentadas: “Teve uma noite que pedalei a zero grau, numa montanha de 10 mil pés. Passei mal lá. Tinha horas que nem sabia onde eu estava. Fiz a melhor subida numa montanha de 11 mil pés, isso dá mais de 3 mil metros”, contou o santsta Cláudio.