Lição de uma triste notícia: saiba a hora de frear

Atualizado em 13 de maio de 2011
Mais em

Esta semana uma morte fez com que todos os amantes do ciclismo e mesmo os entusiastas ficassem chocados com o acidente do ciclista Wouter Weylandt.

Porém, não podemos simplesmente olhar, ter pena e continuar adiante… Claro que não vamos ficar lamentando, mas temos que tirar algumas lições tanto para ciclistas do asfalto como ciclistas de trilhas, cidades, enfim, qualquer esporte mais radical.

Respeite seus limites, tenha sempre em dia seus exames de saúde, certificando que está apto a praticar atividades físicas e esteja com seus reflexos bons. Isso mesmo, o reflexo, muitas vezes coadjuvante nas histórias, porém, muito importante no nosso dia-a-dia e muitas vezes confundido com tempo de resposta.

O reflexo é uma resposta a algo inesperado, por exemplo, um cachorro atravessando a pista na frente da sua bike. Tempo de resposta é aquele que pode ser treinado, como um contra ataque na subida. Exemplo: passa um ciclista ao seu lado e você já espera que a qualquer momento isto vá ocorrer só não sabe quando e, quando acontece, tem que fazer força ou então desistir.

Seguindo este raciocínio, temos sempre que estar atentos, pois as intempéries de um pedal na estrada sempre existem, portanto, use sempre: capacete (não vou nem justificar o uso), luvas que te ajudam a ter uma melhor pegada no guidão e precisão na frenagem, assim como em uma queda é a primeira proteção!

Outros acessórios como óculos fazem uma boa parte da proteção, permitindo que possa ver tudo na pista e nada bata nos olhos e impossibilite a visão.

Reflexo do acidente para a atualidade

Com o acontecido, voltou a discussão sobre o uso dos rádios das equipes, uma vez que os mesmos poderiam ter sido utilizados na ocasião reforçando que haveria uma curva perigosa em determinado quilômetro.

A UCI julga que com os rádios o esporte perde o charme dos ataques e estratégias de equipe. Fica a discussão para você fazer com seus colegas de pedal.

Na verdade, sempre há acidentes nessas provas, mais do que imaginamos, porém, eles não são tão divulgados… Mas deveriam, pois nós ciclistas exageramos na dose e sempre achamos que dá para acelerar mais um pouquinho, e quando vemos alguém famoso sofrer acidente ficamos mal uma semana e logo depois volta tudo ao normal.

Meus alunos sabem que prezo muito pela segurança, que deve vir sempre em primeiro lugar. Como brinco com todos: somos profissionais atletas e não atletas profissionais, vivemos isso e não disso!

Como no caso do futebol, em que aquele cara que só tem que chutar a bola no gol e não consegue ou então não dá uma dividida pois ficou com medo, deveríamos ser todos assim: segunda temos contas a pagar!

Portanto, missão número 1 – Segurança! Depois… Diversão.

Desta vez a matéria não tem final feliz mas sim uma lição: respeite os limites da estrada, da trilha e da sua bike e viva a emoção de pedalar e depois poder contar aos seus amigos e familiares.

Confira artigos anteriores: