Joelho lesionado: como voltar a treinar?

Atualizado em 16 de outubro de 2019
Mais em ATIVO

Das articulações do nosso corpo, o joelho é uma das que merece atenção redobrada, já que possui a maior incidência de lesões. Formado por ligamentos, meniscos, músculos, tendões e uma série de outros componentes que lhe dão estabilidade, ele é capaz de suportar as diversas forças que atuam na junção.

leiamais-cinza-novo
icon texto_menor  DORES NO JOELHO: ATRITO DA BANDA ILIOTIBIAL 
icon texto_menor  MULHERES LESIONAM MAIS O JOELHO 
icon texto_menor  CUIDADOS DO CORREDOR: CONDROMALÁCIA PATELAR 

Muitos corredores, seja por qualquer pequeno desalinhamento no membro inferior, deficiência de força muscular, volume exagerado no treinamento ou falta de descanso adequado, já sofreram com uma dor incomoda que os forçaram a diminuir o ritmo ou, até mesmo, desistir de treinar.

Caso isso já tenha acontecido com você, saiba que a dor é inevitável e não se pode, simplesmente, “ignorá-la”. É preciso saber reconhecer a diferença entre uma dor temporária de uma dor mais grave, que o forçará a usar gelo e compressão ou, até mesmo, a visitar um ortopedista.

Como prevenir lesões?

Nunca comece a correr sem orientação profissional e fique atento ao calçado. Além disso, o alongamento é essencial para prevenir lesões. Como a articulação do joelho precisa suportar todo o seu esforço, procure sempre correr com o corpo ereto e olhando para cima, para não comprometer o seu desempenho e equilíbrio.

Para prevenir o problema, você deve realizar treinos de musculação e propriocepção (exercício que trabalha a percepção corporal, consciência da postura e do movimento) e procurar correr em superfícies confortáveis, sabendo respeitar seus limites nos treinamentos, e descansar. Trabalhe, também, o fortalecimento dos músculos quadríceps (anterior da coxa), glúteo médio (lateral do quadril) e glúteo máximo (posterior do quadril).

Exercícios

Para recuperar o joelho e voltar a correr sem dor, o ideal é apostar em exercícios de reforço, como a musculação, principalmente, aqueles que trabalham os músculos que fazem a extensão do joelho.

Exercícios funcionais e o treinamento sensório motor são outras opções que podem ser associadas à musculação, que irão melhorar a qualidade muscular com um todo. Vale ressaltar que exercícios que envolvem a região posterior da coxa também devem estar na rotina de treinamento de quem está lesionado, pois é uma região importante para manter o equilíbrio muscular entre a região da frente da coxa e a de trás.

Nos casos em que é necessário repouso absoluto recomendamos a natação com uso de boia nas pernas, se o repouso for relativo podemos trocar a atividade de impacto como a corrida pela bicicleta ou “transport”. É sempre possível fazer uma adaptação dos treinos para não se perder a condição cárdio-respiratória enquanto realizamos o tratamento da lesão do joelho.

Contudo, é preciso que você tenha em mente consultar um profissional especializado para dosar o volume e a intensidade adequada, para respeitar suas características e limites pessoais.

(Fonte: Dr. Juliano Fonseca, ortopedista especializado em lesões esportivas; Dr. Roberto Ranzini (Ortopedista e Médico do Esporte, formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), Membro titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT), Médico do Corpo Clínico do Hospital Israelita Albert Einstein e do Hospital Alemão Oswaldo Cruz)