Geox-TMC respira

Atualizado em 27 de outubro de 2011
Mais em

Por Fernando Bittencourt

Confirmada nesta semana como uma das cinco equipes que disputarão uma licença ProTeam para 2012, a Geox-TMC corre contra o tempo para negociar com um novo patrocinador. E o que parecia quase impossível, agora parece próximo. A companhia italiana Geox anunciou de última hora que não patrocinará a equipe no ano que vem, o que deixou seus ciclistas em uma situação incômoda. Denis Menchov chegou a dizer que o time só não acabaria se ocorresse um milagre.

A esquadra possui apenas três dias para realizar o pagamento das garantias bancárias à União Ciclística Internacional (UCI) e, portanto, precisa anunciar um novo parceiro dentro deste prazo. Joxean Fernández Matxin, diretor esportivo da equipe, fez uma declaração otimista nesta quinta-feira (27) sobre o caso. “As negociações estão indo muito bem. Há algumas empresas que estão muito próximas de nós e estamos realmente animados quanto ao futuro de nosso time”, disse.

De acordo com o dirigente, a Geox-TMC ainda não pagou nada do que deve à UCI, o que deveria ter sido feito no início do mês pela empresa italiana de calçados, que repentinamente se recusou a pagar e resolveu se retirar do esporte, mesmo após a conquista de Juan Jose Cobo da Vuelta a España. O ex-patrocinador da equipe formou a parceria no ano passado, com a promessa de investir 50 milhões de dólares em cinco anos, mas abandona o barco após a primeira temporada e pode ser processado no Tribunal Arbitral do Esporte (TAS).

Apesar da multa a ser recebida pela equipe pelo atraso no pagamento da taxa à UCI e do tempo escasso para fechar um acordo com uma nova empresa, Matxin ressaltou que as coisas não estão tão difíceis como aparentam estar e apontou algumas vantagens para as empresas que estiverem dispostas a negociar uma nova parceria. “É um excelente momento para investirem em nós, porque com uma quantia relativamente baixa de dinheiro, o patrocinador terá a possibilidade de usufruir de uma licença ProTeam e apoiar importantes ciclistas, com chances de ótimos resultados”.

“Menchov pode ser considerado como um dos favoritos ao Tour de France 2012, que terá um percurso de quase 100 quilômetros de contrarrelógio. Ele terá (Juan José) Cobo ao seu lado e nós ainda teremos opções para o Giro e para a Vuelta, com ciclistas como Fábio Duarte e o próprio Cobo. Não vejo muitos ProTeams com melhores opções para as grandes voltas e, por isso, creio que esta equipe será muito rentável para a próxima temporada ou, pelo menos, tanto quanto sempre foi”, concluiu Matxin.

A UCI alertou ontem que se a Geox-TMC realmente fechar as portas, a nova esquadra da 1t4i, proveniente da Skil Shimano, não entrará em seu lugar na disputa por uma vaga na briga pela licença ProTeam, como era almejado pela nova equipe.