Corrida x bebidas alcoólicas

Atualizado em 01 de março de 2011
Mais em

Por Fernanda Silva

Carnaval no Brasil é uma época de muita alegria, comemoração e até mesmo alguns abusos, como com relação às bebidas alcoólicas. O alto consumo de álcool, além de trazer malefícios para a saúde, também atrapalha o desempenho nas atividades físicas. “Elas sobrecarregam o funcionamento hepático, lentificando o processo de geração de energia, aumentando a fadiga e diminuindo o tempo de resistência para as sessões de treino”, explica a nutricionista esportiva funcional, Priscila Di Ciero.

Além disso, esse consumo exige do organismo um aumento na produção de antioxidantes, para limpar as toxinas geradas pelo álcool, o que pode acelerar o processo de envelhecimento celular. Outro fator relevante é o alto valor calórico que as bebidas alcoólicas possuem. “Essas bebidas são extremamente calóricas. Fornecem 7 kcal por grama de álcool (só perdem para as gordura que são 9 kcal por grama)”, revela Luís Ricardo de S. Alves, nutricionista esportivo. As calorias das bebidas alcoólicas, aliás, são consideradas “calorias vazias”, pois não fornecem nutrientes para o nosso organismo.

Já para os que têm o vinho tinto na rotina alimentar, até podem continuar ingerindo-o de forma moderada, já que nele encontra-se uma substância chamada resveratrol. Ela protege o coração de problemas cardiovasculares, ajuda no controle de colesterol, elevando o bom (HDL) e no combate aos radicais livres. Mas não se empolgue. “Apesar de diversos trabalhos científicos mostrarem os efeitos benéficos do consumo moderado de vinho tinto na saúde dos indivíduos, quem não toma a bebida alcoólica não deve passar a consumi-la somente por causa disso”, afirma Priscila

Na corrida
Se evitar o álcool é o melhor para o corredor – pelas razões já citadas -, na véspera de treinos e provas a restrição quanto ao seu consumo é ainda maior. “Quando se tem uma prova ou competição não é indicado ingerir bebidas alcoólicas, a não ser em doses muitíssimo pequenas para relaxar e diminuir a tensão pré-competição”, fala Alves. O fator hidratação é um dos principais motivos. “Elas desidratam nosso corpo e quando isso ocorre perdemos em rendimento”, completa o nutricionista. Se for beber, a dica é ingerir muita água ou suco junto à bebida e observar a coloração da urina “que deve sempre ser a mais clara possível, salvo a primeira urina do dia, que é mais concentrada”, indica Priscila.

Para os que não pretendem largar a “cervejinha do fim de semana” é importante aliar uma vida saudável ao consumo de bebidas alcoólicas e sempre ficar atento à alimentação, já que o álcool, além de sempre vir acompanhado de petiscos, diminui a glicose na nossa corrente sanguínea, sinalizando ao corpo que temos que comer algo para repor a glicemia. “Isso destrói qualquer dieta de emagrecimento ou manutenção de peso”, finaliza Alves.