Coringa cazaque

Atualizado em 28 de outubro de 2011
Mais em

Por Fernando Bittencourt

Alexander Vinokourov recebeu aval de Kairat Kelimbetov, atual presidente da Federação Cazaque de Ciclismo, para assumir o comando do ciclismo cazaque. O atleta, que nunca escondeu sua lealdade e admiração por sua equipe e pelo Cazaquistão, voltou a treinar recentemente, após ter fraturado a cabeça do fêmur durante o Tour de France e prometeu competir por mais um ano, no entanto, a possibilidade tornar-se um dirigente de sua equipe ou da Federação ciclística de seu país sempre foi evidente, afinal, ele já atuava nesse sentido extra-oficialmente.

Kelimbetov anunciou nesta sexta-feira (28), em entrevista concedida ao site time.kz, que abandonará o cargo presidencial nas próximas eleições e afirmou que os funcionários do Estado não podem estar ligados às federações esportivas.

O atual presidente, também ministro do comércio e do desenvolvimento econômico do país, foi eleito no ano de 2009 e diz que sua tarefa de responder em nome do ciclismo cazaque se encerrará no mês de novembro, época das próximas eleições.

Para tomar seu lugar, o dirigente não enxerga alguém melhor que Vinokourov, que já foi cotado para ser o diretor geral da Astana – sua equipe -, no entanto, a União Ciclística Internacional (UCI) impede que um ciclista ocupe um cargo diretivo em sua equipe e Kelimbetov pode se aproveitar disso para tentar colocar o líder da equipe cazaque em seu posto.

Com o contrato com término previsto em dezembro o ciclista ocuparia duas funções: a de competir e a de trabalhar para a Federação. “Seria uma nova fase na carreira de Vino, um novo desafio”, afirmou. Agora resta saber se a UCI impedirá Vinokourov de ser atleta e presidente da Federação simultaneamente e se o ciclista aceitaria a proposta, com a convicção de conseguir conciliar as duas tarefas.