Como se classificar para o Ironman do Havaí?

Atualizado em 05 de outubro de 2011
Mais em

Estamos a poucos dias da mais importante prova do triathlon, o campeonato mundial de Ironman em Kona (Havaí). Todos os triatletas começam ficar ansiosos com a prova e, claro, pensando se um dia seria possível participar dela como atleta e não somente como fã.

Neste ano teremos 10 atletas representando a ironguides no evento, sendo quatro deles brasileiros. Tendo participado em Kona como triatleta profissional, e acompanhado como treinador diversos atletas que se classificaram nos últimos anos, alguns tópicos ficaram bem claros sobre o que é preciso fazer para se classificar, além de treinar duro, claro.

Use seus pontos fortes:

Quando falamos de Havaí, não existe uma receita de sucesso, em algum momento da prova você vai precisar arriscar. Se um atleta tem a classificação como objetivo, é bem provável que aquele não seja seu primeiro ironman, portanto, terminar não é mais um objetivo, o que ajuda na idéia de que se algo der errado, você não tem nada a perder.

Caso seja seu primeiro ironman, seu objetivo sempre é de terminá-lo, claro que existem objetivos secundários, o mais popular é terminar sem caminhar, e todo seu treinamento deverá ser focado nessa estratégia.

Porém, um perfil bastante comum nas provas de triathlon é o forte ciclista com uma corrida fraca. Como estamos falando de amadores de alta performance, se um atleta acha que correr abaixo de 3h30min não é possível, seja por qual for o motivo, mas o mesmo atleta se sente muito bem no ciclismo, nesse caso seria viável arriscar um ciclismo forte, perto de 5 horas, e procurar correr perto de 3h45min, com essas parciais é bem provável que o atleta quebre a marca das 10 horas, o que é um tempo de classificação em várias provas, com exceção das provas rápidas ou categorias competitivas.

Claro que seu treinamento deve ser estruturado considerando a estratégia a ser utilizada na prova, nesse exemplo anterior, a corrida precisa ser direcionada para uma técnica eficiente.

Nade mais rápido:

A natação é cerca de 10% do tempo total da prova. Muitos atletas não se preocupam em se dedicar o suficiente para atingirem um nível decente na água. Um atleta que completa a natação em 80 minutos precisaria treinar duro na piscina por um ano para abaixar seu tempo para 65 minutos. A grande maioria dos atletas e treinadores acredita que esse tempo e esforço trariam mais benefícios caso fossem aplicados na corrida ou ciclismo.

Porém, os ganhos não serão somente os 15 minutos que você nadará mais rápido, você vai começar pedalar muito mais descansado, com batimentos cardíacos mais baixos, e menos fadiga muscular, o que irá resultar em tempos mais rápidos no ciclismo e corrida.

Outro benefício de ter uma boa natação é estar rodeado de atletas mais experientes e em melhor forma. Durante a natação todos têm confiança, experiência e evitam o contato físico com os nadadores ao lado.

No ciclismo, você não vai precisar gastar a energia física e mental de realizar diversas ultrapassagens, acelerações ou freadas, se preocupar com atletas em seu vácuo. Existe um ganho mental quando você se preocupa em pedalar no mesmo ritmo de um grupo de atletas, sem pegar vácuo, do que buscá-los, o que ocorre em uma prova de recuperação.

Atenção com os detalhes:

Quando se pensa em Kona, cada Segundo é importante. Já trabalhei com alguns atletas que ficaram a alguns minutos da vaga e, nesses casos, é impossível não se pensar se seria possível ter ido mais rápido caso os detalhes fossem tratados com importância.

Equipamento:

O famoso ditado “Nunca experimente nada novo no dia da prova” se torna mais importante a cada dia que passa, pois novos equipamentos são lançados com frequência. Isso pode deixar a Expo no dia anterior da prova bastante tentadora, conhecer tudo aquilo que, em teoria, irá lhe deixar mais rápido no dia da prova se comparado com o que você já utiliza. Um exemplo extremo dessa situação foi um atleta que ficou reduzido a caminhar a maratona mesmo se sentindo bem, pois as novas meia de compressão lhe causaram bolhas insuportáveis.

Lembre-se que você NÃO precisa do melhor e mais caro equipamento para se classificar para o Havaí. Na verdade, em diversas situações você terá uma melhor performance se escolher algo mais básico, pois, geralmente, o produto top de linha é desenvolvido para atletas profissionais, que estão em outra realidade em termos de habilidades técnicas e físicas.

Nutrição:

Utilize um plano de nutrição para o dia da prova que seja simples e eficaz. Algo que você tenha testado e ajustado em provas e treinos passados. Não saia de seu plano no dia da prova, pois a consequência pode custar sua vaga, você não quer ser forçado a diminuir o ritmo por desconforto estomacal, mesmo estando fisicamente muito em forma.

Experiência:

Como costumo dizer a todos, não existe a prova perfeita no dia do ironman. Sempre algo não irá de acordo com os planos. Porém, quanto mais experiência você tiver, melhor irá se sair em situações que lhe pegam de surpresa.

Caso você acha que ainda esteja a alguns anos de se classificar para Kona, utilize esse período para se conhecer melhor, faça provas em percurso e situações diferentes, aprenda em que tipo de clima ou terreno você se sai melhor, além de perceber quais são seus pontos fracos, e procure trabalhar neles. 

Se classificar para Kona é algo possível na próxima temporada, utilize uma prova como preparação para o grande dia. Uma competição de meio ironman, faltando 8 a 10 semanas para o Ironman, em um percurso similar, considere também simular o uso da roupa de neorepne, tipo de natação, se em mar ou lago, altimetria no ciclismo e corrida, e claro, temperatura.

Utilize o mesmo equipamento, estratégia e nutrição que você pretende usar na classificatória, mesmo se fazendo isso você complete a prova alguns minutos mais lentos do que seu potencial em uma prova de meio ironman.

Nos vemos em Kona!

Confira:

Treine com a ironguides! Solicite aqui sua planilha personalizada!

 

Artigo anterior:

Especial Ironman Brasil 2011:

Alguns artigos 2010 da ironguides:
Avalie sua temporada – Parte II 
Avalie sua temporada – Parte I 
Você treina para comer ou come para treinar? 
Treinamento de 12 semanas para seu primeiro Triathlon.   
Como é sua conduta na prova de triathlon?