Com cara de primavera

Atualizado em 07 de outubro de 2010
Mais em

Por Maurício Belfante

A animação marcou mais uma etapa de primavera do Circuito das Estações adidas. A cidade da vez foi o Rio de Janeiro, que botou pra correr cerca de 13 mil pessoas nas distâncias de 5 km e 10 km, logo às 8h, com a largada no Aterro do Flamengo na manhã deste domingo, 10 de outubro.

Com tempo nublado, os corredores não se importaram com o clima “feio” e fizeram bonito na corrida. A empresária Lucélia Marques de Oliveira, 45 anos, foi uma das que adorou praticar a atividade física na manhã deste domingo.

“Foi muito bom correr hoje, foi indescritível. Minha família esteve presente pra me prestigiar e isso é emocionante, é um apoio a mais. O clima estava muito bom para a prática da corrida e estava me sentindo muito bem, poderia até ter corrida os 10 km”, destacou a empresária, que contou com a animação do marido e do filho na torcida.

Velho companheiro dos corredores da Cidade Maravilhosa, o Aterro do Flamengo é o principal local para eventos de corrida esportiva na capital. “Aqui já virou nossa casa. É até difícil encontrar alguém que não esteja acostumado com o lugar, que não saiba o trajeto de cor”, disse Lucélia, que já é corredora há quatro anos.

“Comecei a correr pois gosto de competição, da sensação de estar disputando alguma coisa com um adversário. Na corrida eu encontrei isso, seja nas competições, ou nos treinos na academia, e muitas vezes até em casa, já que meu marido também corre. Hoje ele só não participou por causa de uma lesão no calcanhar”, afirmou a empresária, citando o marido como principal concorrente.

Vento na cara
Corredor há mais de dez anos, Marco Nascimento Rimelli, de 38 anos, já tem um extenso currículo na corrida, participando até de algumas provas internacionais, como a Maratona de Paris e Londres. Hoje, mais sossegado com o esporte, só disputa provas pra sentir a sensação de uma competição novamente.

“Eu já me dediquei bastante na corrida, depois que experimentei decidi que esse era o esporte perfeito para mim. Agora por causa de trabalho, e como minha mulher acabou de ter o nosso bebê, dei uma parada pra cuidar das coisas de casa e já estava quase um ano sem correr,”, relatou o médico.

Contudo, o experiente corredor andou sentindo falta da corrida nos últimos dias. “Como eu tava quase sem correr, semana passada deu aquela saudade de tudo, até no vento batendo na cara, da exaustão”, disse o corredor.

Clique aqui para ver o seu resultado na competição

Fotos: Rafael Mulinari