Basso está pronto para ``recomeçar´´

Atualizado em 20 de outubro de 2008
Mais em

Por Cesar Candido dos Santos

Depois de cumprir dois anos de suspensão pelo envolvimento na Operação Puerto, um dos maiores escândalos de doping da história do esporte mundial, o ciclista Ivan Basso retornará às competições na Copa do Japão, no próximo dia 26 de outubro. O ciclista italiano, que agora é companheiro do brasileiro Murilo Fischer na Liquigas, garante que a prova asiática será o recomeço de sua carreira.

“Esperei muito tempo por este dia, quando poderei sentir novamente as sensações que tanto senti falta. Estou contente e em ótimas condições, pois trabalhei muito para estar na Copa do Japão. Este será o quilômetro zero, será como começar uma nova carreira”, disse o campeão do Giro d´Italia 2005, que acredita que vai demorar para se livrar das marcas provocadas pelo doping, e não se sentiu em condições de julgar os escândalos de CERA detectados no Tour deste ano.

“Paguei minha dívida, mas o sentimento de vergonha, pelo menos no princípio, vai permanecer. Ainda fico mal ao reviver certas coisas e sou a pessoa menos indicada parar falar dos problemas atuais do ciclismo”, afirmou.

Basso deixou claro que quer acabar com todas as dúvidas sobre sua honestidade. Durante sua suspensão, ele pediu para ser controlado por diversas agências antidoping e cumpriu todos os protocolos possíveis. Neste tempo, o ciclista também se preocupou com a parte física, e pedalou cerca de 50 mil km nos últimos 20 meses.

“Treinei sozinho e muitas vezes sonhei em atacar em uma montanha ou chegar com a camisa de líder na última etapa de uma grande prova. Isto era um estimulo para seguir em frente, e é algo que posso realizar. Quero provar que foi real a primeira parte da minha carreira”, declarou.

Basso x Armstrong
O primeiro grande duelo de 2009 já está anunciado. Assim como o norte-americano Lance Armstrong (Astana), Ivan Basso pretende lutar pelo título da 100ª edição do Giro d´Italia, mas o italiano sabe que terá dificuldades diante do heptacampeão do Tour de France.

“Quero vestir de novo a maglia rosa. Este é meu objetivo, mas a presença de Lance Armstrong no Giro o converte como o favorito número 1”, disse o ciclista, que já tem um cronograma montado para a próxima temporada e deve disputar a Vuelta a San Luis, na Argentina, em janeiro, o Tour da Califórnia, em fevereiro, a Tirreno-Adriático, em março, e o Giro d´Italia, em maio. No segundo semestre, o atleta deve ser o capitão da Liquigas na Vuelta a España.