Arthur Simões chega ao Paraná

Atualizado em 18 de abril de 2006
Mais em

Confira o relato de Arthur Simões, que irá dar a volta ao mundo em cima de uma bike, em mais de dois anos de viagem:

Após duas semanas de pedaladas, percorri quase 700 km da capital São Paulo até Maringá, no interior do Paraná. Os 30 quilos que carrego em minha bicicleta ainda estão exigindo uma adaptação do meu corpo, que aos poucos consegue chegar cada vez mais longe apesar do peso.

Antes da minha partida calculava que pedalaria cerca de 60 a 70 km por dia, parando ainda para descansos nos finais de semana. Hoje vejo que posso obedecer ao cronograma estabelecido pedalando um pouco mais por dia e descansando mais. O último trecho que percorri foi de Londrina a Maringá, passando por Apucarana, o que resultou em quase 130 km num único dia, que seria o dobro do que eu havia estabelecido inicialmente.

Além da evolução fisiológica, outra coisa que percebo é a mudança das condições das estradas por onde passo. No Estado de São Paulo pedalei praticamente apenas na rodovia Castello Branco, aonde segui até a entrada para Avaré. Ao sair desta rodovia o contraste foi gritante. O relevo que era basicamente plano se tornou repentinamente montanhoso, que se torna um desafio quando se tem mais de 30 quilos de bagagem para carregar.

Os piores trechos que considero até agora foram os que ligaram Bernardino de Campos até Londrina, passando por Ourinhos e Cornélio Procópio. De Londrina para frente o relevo começa a se tornar plano, uma característica natural desta região do Paraná. Pelo que tenho ouvido, o percurso plano acompanhará meu roteiro até o norte da Argentina, quando me depararei com os Andes.

Em relação à hospitalidade das pessoas pelos locais que pedalei não notei muita diferença entre os dois Estados, apenas entre as cidades pequenas e as grandes. Nestas as pessoas são invariavelmente desconfiadas e dificilmente lhe dão um abrigo, o que ocorre com mais facilidade numa cidade do interior.

Agora sigo em frente, deixando para trás Maringá, esta cidade planejada e de tantas bicicletas. Busco chegar em mais uma semana até a fronteira Brasil – Paraguai.

Sigo nômade neste caminho. O único lugar que sei que estarei é no www.pedalnaestrada.com.br.

Grande abraço!

Arthur Simões Cardoso Neto, 24 anos, é formado em direito, professor de yoga, ciclista e esportista convicto. Ele realiza o Pedal na Estrada viajando por 30 países sobre um bicicleta, com o patrocínio da Bristol-Myers Squibb e o apoio de Fuji Bikes, Dennova e Base64.