Além do ciclismo

Atualizado em 11 de fevereiro de 2020
Mais em ATIVO

Por Fernando Bittencourt

Bjarne Riis, proprietário da Saxo Bank, anunciou nesta quinta-feira (1) uma novidade diretamente de Israel, onde está concentrado com sua equipe em um campo de treinamento. O empresário publicou no site oficial do time que está empenhado em construir uma escola para ajudar a integrar crianças judias e muçulmanas através do ciclismo.

O projeto, batizado de “Ciclismo pela Paz”, já está sendo concretizado e fará parte da ONG Peres Center of Peace (Centro de Paz Peres, em português), que visa difundir a paz na região. A ideia é de integrar jovens estudantes judeus e muçulmanos no programa, que será localizado na cidade de Acre, no norte de Israel.

“Como verdadeiros pioneiros no mundo do ciclismo, estamos munidos de ferramentas para criarmos uma escola baseada nos valores adotados pela Saxo Bank. Queremos transformar nosso espírito tradicional em uma escola para ciclistas”, divulgou a equipe em seu site oficial.

“Nosso projeto é ambicioso, sustentado na visão de tornar mais fácil o relacionamento entre crianças judias e muçulmanas. Cremos que, em longo prazo, poderemos transformar alguns preconceitos e problemas. Vamos criar uma fundação para atender hoje a um grupo pequeno de crianças, mas a um grande grupo de pessoas no futuro, que poderão ser inseridas no esporte. Não importa se você é ciclista ou pratica outro esporte, o importante é que nós sabemos que quando se pratica esportes, se leva uma vida mais saudável e versátil”, disse Riis.

A escola será a primeira a seguir este molde no país, segundo Tami Hay, diretor do departamento de esportes do Peres Center for Peace. “Existem duas comunidades em Acre, uma judia e uma muçulmana, e a cidade sofre com a segregação das escolas, no entanto, a Saxo Bank realizará na próxima sexta-feira (2) um programa de integração, relacionado com atividades ciclísticas. A equipe utilizará o esporte como ferramenta social para juntar diversas salas de aula, de diferentes escolas, em atividades recreativas”, disse.